Mamas

mastoplastia

CONSIDERAÇÕES MÉDICAS FUNDAMENTAIS

(MASTOPLASTIA COM PRÓTESE DE SILICONE)

A prótese de silicone é utilizada quando a mulher não tem suficiente material mamario para prover o aumento do volume dos seios. Serve ainda para reconstituição mamaria após certas cirurgias, como a mastectomia, tanto subcutânea como radical, em casos de agenesia (ausência de seios) e hipomastia (seios pequenos) unilateral ou bilateral. As deformidades que afetam as mamas chegam a acarretar distúrbios emocionais, dada a simbologia dos seios, associados à feminilidade.

A prótese de silicone permitirá melhorar a forma das mamas como também aumenta-lhes a consistência. Quanto ao novo volume dos seios, a clínica utiliza peças pré-moldadas de mamas de silicone gelatinoso revestido de poliuretano ou texturizada que colocam diversos tamanhos à escolha da paciente. A opção quanto ao tamanho deverá, contudo, obedecer à harmonia natural que existe entre os seios e o tórax da paciente.

O resultado final é a culminância de três períodos evolutivos: Imediato 9até o 30º dia: As mamas vão apresentar melhora em seu aspecto na forma e volume ainda estarão aquém do resultado planejado. Mediato (2º ao 3º mês): As mamas começam a ganhar um ritmo de evolução que tende para a forma definitiva, podendo ocorrer maior ou menos grau de inchaço Tardio (do 3º ao 12º mês): é o período em que as mamas atingem o aspecto definitivo, em termos de cicatrização, forma, consistência, volume e sensibilidade. De fundamental importância para o resultado final serão o grau de elasticidade da pele e o volume da prótese introduzida. O equilíbrio entre ambos varia de caso a caso.

É tecnicamente inaceitável qualquer avaliação do resultado antes do 12º mês. As cicatrizes poderão ser localizadas no sulco entre a mama e o tórax, via axilar, em torno da aréola, em forma semilunar ou nos casos de flacidez de pele mamaria, cicatrizes convencionais vertical, em L ou T invertido. Sua evolução passa, igualmente, por três períodos: Imediato (até o 30º dia): Apresentam-se pouco visíveis mas, em alguns casos, discreta reação aos pontos ou ao curativo; Mediato (do 2º ao 3º mês): neste período ocorre o espessamento natural da cicatriz, que começa a mudar de cor, do vermelho para o marrom, para ir, aos poucos, clareando; Tardio (do 4º ao 12º mês): a cicatriz vai se tornando gradativamente mais clara e menos consistente até atingir o seu aspecto definitivo, o qual, em muitos casos, alcança a quase imperceptibilidade.

Fica a paciente inteirada da possibilidade de ocorrência de fenômenos associados às reações orgânicas específicas de cada um, independentemente da técnica empregada e da experiência do cirurgião, tais como edema, pequeno derrame sangüíneo, fibrose e cicatrizes inestéticas, como as previstas no item 6 deste termo. Tais imprevistos poderão ser corrigidos após o 3º mês, mediante cirurgia de retoque cujos custos serão reduzidos às proporções do novo procedimento.

Cabe ressaltar que, embora as estatísticas registrem um número cada vez menos de complicações decorrentes das próteses de silicone, não se pode deixar de admitir a possibilidade de certas intercorrências, tais como contratura capsular, rompimento da prótese, assimetria, deslocamento do implante, infecção, hematoma, seroma e deiscência. Constatado o raro fenômeno, caberá ao cirurgião implantar nova prótese, após três meses, cujos custos serão reduzidos às proporções do novo procedimento..

A Clínica Sant’Anna realiza implantes de próteses de silicone calcada nos termos da Nota Oficial emitida pela Sociedade brasileira de Cirurgia Plástica, Estética e Reconstrutiva para o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, em 24.11.1994, segundo a qual “as próteses de silicone são válidas, úteis e não provocam doenças do colágeno ou câncer mamario.”

Cabe aduzir a recomendação da FDA, a rigorosa Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos, no sentido de que “as mulheres com implantes mamarios revestidos de espuma de poliuretano não devem retirá-los unicamente baseadas em preocupações sobre câncer decorrente da exposição ao FDA”. Além de advertir que “o risco para a saúde em conseqüência da remoção cirúrgica dos implantes seria muito maior que o risco de contrair câncer”, a FDA recomenda que “as mulheres que não estejam experimentando problemas com seus implantes não devem cogitar de retirá-los”.

O resultado da cirurgia não será alterado por eventual gravidez, desde que o ginecologista controle o peso da paciente durante a gestação. Ressalvados casos especiais de reações orgânicas específicas, as estatísticas são bastante favoráveis à manutenção da capacidade de lactação das pacientes após este tipo de cirurgia. Tal performance pode ser atribuída à localização da prótese, abaixo do tecido glandular (retro glandular). A Mastoplastia com prótese de silicone dura em média 2 horas.

A anestesia é geral, peri-dural alta ou local com sedação assistida, dependendo do caso. O período de internação é de 24 horas. Os pontos são retirados por volta do 15º dia.

É indolor o pós-operatório, desde que a paciente siga as instruções médicas quanto aos cuidados que deverá no que tange à movimentação dos braços e à prática de certos esforços.

Será de fundamental importância para a consecução do resultado que a paciente cumpra as recomendações pré o pós operatório a seguir explicitadas, fornecendo assim a sua cota de responsabilidade no pleno atingimento do sucesso operatório.

 

RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS:

1. No caso de uso de qualquer droga (medicamentosa ou não), cigarro ou qualquer tipo de fumo, álcool etc., comunicar o fato ao Clínico Cardiologista por ocasião da avaliação do risco cirúrgico.

2. Em caso de gripe, indisposição ou antecipação do período menstrual, comunicar o fato ao cirurgião até dois dias antes da operação.

3. Se a cirurgia estiver marcada para às 8h., apresentar-se na Clínica em jejum de sólidos e líquidos a partir das 22hs do dia anterior. Caso o ato cirúrgico seja previsto para depois das 13hs., a refeição matinal deverá terminar às 8hs e constar de 1 xícara de café, leite ou suco, além de 02 bolachas.

4. Trazer para a Clínica a medicação que porventura estiver usando sob autorização do Clínico Cardiologista.

5. Programe suas atividades sociais, domésticas ou escolares de modo a não se tornar indispensável a terceiros por um período de aproximadamente 2 semanas.

 

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS:

1. Evitar qualquer tipo de esforço nos 7 primeiros dias.

2. Seguir à risca as instruções que lhe serão dadas relativamente à movimentação dos membros superiores, especialmente os braços, durante os primeiros 7 dias.

3. Não se expor ao sol nem à friagem até liberação pelo cirurgião.

4. Não molhar o curativo até autorização médica.

5. O banho completo só será possível no 4º dia. Até então os banhos terão de seguir os cuidados médicos.

6. Não dirigir no dia da alta.

7. Voltar à Clínica nos dias estipulados para os curativos subsequentes e controle pós-operatório.

8. Caso faça ginástica, retomar sua prática somente após o 30º dia e, ainda, assim, com exercícios progressivos.

9. Fazer exame anual das mamas com vistas a verificar as condições das próteses em termos de forma, consistência e integridade.

 

Procedimentos

  • Mamas
  • Nádegas
  • Pernas
  •